11 agosto, 2011

City Hunter


City Hunter causou revolta em fãs da obra original e eu entendo perfeitamente a frustração deles. O que não entendo de jeito nenhum é o porquê de terem usado o nome do mangá do Tsukasa Hojo sendo que o dorama não tem absolutamente NADA a ver com ele. Nem deve ter sido pra conseguir audiência, pois qualquer um que foi atrás do dorama por causa do mangá, largou logo no primeiro episódio, sem dúvida. Acredito que a boa audiência e o enorme número de anunciantes se dê mais pela popularidade e beleza descomunal do Lee Min Ho do que por qualquer outra coisa. Por falar em anunciantes, esse foi o dorama mais "macacão de fórmula 1" que já vi! Era propaganda embutida em tudo quanto é lado e de forma nada sutil, bem estilo novela da Globo. Era coisa do tipo, pára tudo o que tá acontecendo e alguém diz "vou fazer um cafezinho bem gostoso pra te animar" e tasca close na marca do café, e daí todo mundo toma e adora... Era carro, ipad, iphone, roupa masculina, feminina, café e tudo o que se pode imaginar. Uma pena não ter tido de cueca... ia ser uma propaganda bem-vinda.

Faltou propaganda de cueca!

Mas, enfim, vamos pra história!
City Hunter começa em 1983, na Birmânia onde o presidente da Coreia do Sul sofre uma tentativa esculhambada de assassinato, obra de um terrorista preguiçoso. O presidente não morre e mais tarde descobrem que foi coisa da Coreia do Norte e cinco políticos poderosos decidem por conta própria (sem consultar o presidente), mandar um grupo de agentes para atacar uma base norte-coreana. Os soldados fazem seu trabalho, mas o presida anuncia publicamente que não fará retaliações, para que não haja problemas diplomáticos. Como a merda já tava feita, os cinco responsáveis mandam exterminar os agentes envolvidos no ataque para que tudo fique por baixo dos panos. Dentre esses agentes está o pai de nosso herói e seu melhor amigo, o Lee Jin Pyo. Todos morrem menos o Lee Jin Pyo, que fica virado num bicho e quer se vingar dos responsáveis a todo custo. Pra isso, ao invés de cuidar do filho recém-nascido e da mulher de seu amigo, como lhe foi pedido, ele rouba o bebê da mãe para poder usá-lo no seu plano de vingança, que segundo ele, será o mais cruel ever!
Depois ele vai para o Golden Triangule (não sei o nome desse lugar em português), ganha zilhões vendendo drogas e cria o Lee Yoon Sung como se fosse seu filho, o treinando para que mais tarde ele execute a grande vingança. Anos depois, Lee Yoon Sung volta pra Coreia pra colocar o plano em prática, só que ele e seu pai tem ideias diferentes de vingança o que causa grande desavença entre eles. Claro que no meio de tudo isso temos também romance empacado do nosso herói com a Kim Na Na, moça solitária e esforçada que vive na pindaíba.

Lee Yoon Sung ainda juvenil e maltrapilho e Lee Jin Pyo
com sua eterna cara de bunda.

Vi gente comentando como a história é genial e bem construída e eu digo: WTF?! Será que essa pessoa viu o mesmo dorama que eu?? A trama no geral é mais rasa que um pires e tinha hora que ofendia minha inteligência. Tudo bem simples e novelesco pra que o povão entenda sem problemas... coisa típica de TV, nada muito elaborado. Além de ser extremamente previsível. Dava pra ver láááááááááááá de longe praticamente tudo o que ia acontecer.
O que já começa bobo é o esforço que eles fazem para que odiemos os alvos da vingança... todos (menos o que é o atual presidente, que é o único gente boa) são políticos corruptos e muito, muito malvados, daqueles que fazem mal até para as criancinhas desvalidas! Óóóóóóó.
Fazem todo tipo de maracutaia pra encher os bolsos, bem como os políticos brasileiros, mas os roubos deles são feitos de formas tão imbecis que me chega a ocorrer que os roteiristas acham que o público é pateta demais pra entender algo coerente. Pra mim, o ápice foi o político que desviava milhões da verba que era destinada para universitários e para que ninguém conseguisse rastrear o dimdim, ele o guardava em casa. Isso mesmo, ele guardava MILHÕES em dinheiro, em casa! Tinha um cômodo cheio de grana! Só faltou que nadasse no dinheiro igual o Tio Patinhas! ¬¬' 

Político malandrilson guarda milhões em casa. Isso meio que me agrediu. :\

E a forma em que o Lee Yoon Sung os desmascara também é bem bobinha, do tipo, achando uma agenda onde todos os roubos são detalhados, ou gravando a confissão do político malvado numa câmera escondida e depois enviando magicamente para TODOS os computadores do país.
As cenas de ação são bem feitinhas, e o Lee Min Ho fica sexy demais nas cenas de porradaria. Lógico que eles usam o mesmo princípio dos filmes de artes marciais em que NENHUM bandido usa arma, só pra que nosso herói caia na porrada. E quando o cara tem uma arma, logicamente ele larga ela pra que possam ter um combate mano a mano... confesso que senti vergonha alheia em alguns momentos desses.
O pior que nem a parte romântica do dorama me foi satisfatória. Nos primeiros episódios eles usam todos os clichês de romance que existem, mas eu nem reclamo disso, teve momentos bem bonitinhos e heartwarming... Mas acontece que no geral é um romance tão travado, quase digno de dorama japonês. Tem até alguns beijinhos mixuruquinhas como consolação, mas nada muito emocionante.
Mas devo dizer que gostei da Kim Na Na. Ela foge do esteriótipo de mocinha comilona e mal educada, mas ainda assim é bem voluntariosa e não tem frescurites, além de ser fofa na medida certa.

Lee Yoon Sung, Kim Na Na, Promotor gatchynho e feioso irrelevante.

Para citar outros personagens, temos também o promotor público gatchynho, que aparece em todo lugar e em toda ocasião, é muito honesto e quer colocar os políticos na cadeia, mas não consegue sem que o City Hunter (é como o justiceiro, no caso o Lee Yoon Sung, fica conhecido pelo povão) entregue todos a ele de mão beijada. Ele fica putinho porque se sente humilhado e também pelo fato do City Hunter agir fora da lei e começa a persegui-lo. Na verdade ele vira um chato que se preocupa mais em prender o City Hunter do que os políticos bandidos... no entanto ele é tão lindinho que tá tudo certo. XD
Ah, e temos temos o ahjussi que é a figura materna do Lee Yoon Sung e um alívio cômico bem eficiente. Amei ele particularmente quando eles roubam um caminhão cheio de dinheiro e o ahjussi quer jogar o dinheiro pro alto! Cara, achei aquilo tão genuíno, pois eu faria a mesmíssima coisa! Um dia quando eu roubar um caminhão de dinheiro, vou jogar tudo pro alto e ainda nadar nele, pode apostar!!

Fanservice é bom e eu gosto!

Vou desabafar aqui: no fim das contas o Lee Yoon Sung é um baita de um hipócrita! Ele vem com aquele papo de que não é mais pela vingança pessoal e sim pela justiça que quer prender os políticos corruptos, e vem dar lição de moral quando são feitas falcatruas para que o povo seja o benefíciado, com aquela historinha de que o fim não justifica os meios... Mas vale lembrar que toda a fortuna que ele usa de recurso pros seus feitos, que sua mansão, que seu ipad e iphone, seus 5 carros e sua calça de oncinha, tudo vem do tráfico de drogas! Quantas vidas e famílias ele e seu pai não destruíram pra ter tudo aquilo e fazer sua "justiça"? Pense nisso.
"Ahh, mas ele não era traficante e sim o Lee Jin Pyo", você pode dizer... mas o Lee Yoon Sung sabia muito bem de onde vinha o dinheiro e não ligava nem um pouco.

Vi só por causa do Lee Min Ho e não nego!!

Bem, pra finalizar pois esse texto já ficou grande demais: não é que eu tenha achado City Hunter ruim, só não achei grande coisa e sinceramente não teria visto se não fosse pelo Lee Min Ho que é coisa linda demais e vale por qualquer bobagem que os roteiristas possam inventar. Sim, sou fútil! Que atire a primeira pedra quem não é! XD

PS: eu estava fazendo resenhas episódio por episódio mas como sou uma pessoa sem nenhuma constância e força de vontade, acabei me atrasando e larguei de vez. Mas você ainda pode ler as resenhas engraçaralhas que fiz dos primeiros 3 episódios. É uma pena eu não ter conseguido continuar, pois kdramas tiram o melhor de mim no quesito cômico. Mas como saíam dois episódio por semana, eu simplesmente não consegui acompanhar. Sorry.

8 comentários:

Esther disse...

Eu não te culpo, também sou fútil à décima potência quando o assunto é homem gostoso kkkk. Além do mais esperar coerência de kdrama é meio difícil não? Então só nos resta ver por outros motivos oras rss.
Por falar em fancervice e homem gostoso você já viu Oh! My lady ? Eu terminei de ver ontem, nossa o que foi aquilo? A cena em que o Choi Si Won (super júnior) faz abdominais sem camisa dentro da piscina acaba de ficar marcada para todo o sempre na minha mente e vou recomendar pra todo mundo rss. E ele se tornou meu novo divo kkkk, que abdomen é aquele gente!? Amei muito tudo aquilo kkk.

lina inverse disse...

Ainda não vi Oh! My Lady mas ele já está na minha lista faz um tempinho. E entrou justamente quando vi o protagonista uhauahuahauahuaha
Verei em breve, pode ter certeza! XD

yonihon disse...

NÃO TINHA PROPAGANDA DE CUECA??? Nem vo ver então.
huahahaha
E voltando à história...
Eu não conheço o mangá (só de nome) e ainda não vi o dorama.
Mas que amigo bom esse né? Vc pede pra ele cuidar da sua família e ele ROUBA O SEU FILHO e treina ele pra ser do mal. Que conceito é esse, gente?
E esse tipo de novela "agride" a inteligência do telespectador deveria ser proibida na Coréia, sabe? Falo isso porque um dia fiquei revoltada com algo parecido em uma novela brasileira, e fiquei pensando "nossa eles pensam que o povo é asno!" mas aí me ocorreu que a novela é feita pra atingir todo o tipo de público, mesmo aquele pessoal sem escolaridade nenhuma. Maaaaas isso no Brasil, que tem gente qe vive na miséria absurda. Qual a desculpa da Coréia, que tem um sistema de ensino excelente? Oo
(Droga, já vi que vou ter que assisitr esse drama só pra ver o Minhozinho sensualizando nas lutas e esse promotor biscoitinho)
xoxo
Gabi N.

Tabby Kink disse...

Arrasando nos textos denovo né, menina? Muito legal a sua resenha e acho que você tem sempre que ser sincera! Se tiver que esculhambar, banda bala! Faz o povo rir! O Lee Min Ho é mesmo uma graça, o kadrama pode não ter nada a ver como o mangá, mas será que causou tanta vergonha quanto o filme do City Hunter com o Jackie Chan? Aquilo lá... nossa...

lina inverse disse...

Tabby, sabe que ainda não vi o City Hunter do Jackie Chan? Estou com o dvd aqui e aida não vi, mas deve ser muito divertido por causa da vergonha alheia uhauahauhauahua
E esculhambar é muito legal, na verdade escrever sobre algo que não gostei é mais divertido pois sai coisa mais engraçada dessa minha cachola maluca! uahuahauahua

Beijão e obrigada pelo comentário ^.^

Pryska disse...

Uau ~ adorei seu poste e seu jeito de escrever.
Engraçado ~ ironico e sarcástico ~ na medida certa.

Eu ia assistir City House. Ainda vou, mas fico feliz de ter essa visão da história. As vezes chego no fim de um drama que todo mundo aclamou e me pergunto se sou eu que estou errada por não ver o tal "borogodó".

Só não vou ler o dos primeiros episódios agora porque não quero pegar spoiler demais (que nada, é porque tenho que estudar, adoro spoiler saudável.)

Vou ver e volto pra comentar aqui.. . ^^
Beijos~ ;*

lina inverse disse...

Olá Pryska! Fico muito feliz que tenha curtido minha resenha!! E assista sim City Hunter, pois é sempre bom tirar as próprias conclusões. ^__^

Muito obrigada pelo comentário e espero que volte sempre!
beijosssss ^.^

Claudia Anjos disse...

Adorei!!

Eu estava acompanhando seus comentários por episódio, pena que não continuou... :(
Eu estava protelando para ver esse drama, mas resolvi arriscar, claro que só pelo Lee Min Ho.
Eu ria em todos os momentos! Eu trabalho na área da saúde e ver as cenas do pai da NaNa no hospital foi... hilário! OMG, utilizando de maneira completamente errada e impropria do ambu... kkkkk
Ainda estou no epi 7, na dúvida se continuo ou não...

Bjos

Postar um comentário